8 de janeiro de 2015

A boa mentira


Agora que estou de férias tenho me dedicado mais meu tempo a fazer coisas que eu gosto para distrair e simplesmente descansar. E uma dessas atividades, como muitos sabem é assistir filmes e, recentemente assisti a um que eu gostei bastante, que se chama "A boa mentira"como vocês já perceberam pelo título do post.

Características

Título original: A good lie
Título nacional: A boa mentira
Ano de lançamento: 2014
País de origem: EUA

Sinopse: Órfãos devido à brutal Guerra Civil que assolou o Sudão, iniciada em 1983, estas jovens vítimas percorreram milhares de quilômetros a pé, em busca de segurança. Quinze anos mais tarde, um esforço humanitário levou para a América 3600 destes “rapazes perdidos”, mas também raparigas.Em “A Boa Mentira” Philippe Falardeau dá vida à história da sua sobrevivência e do seu triunfo, Reese Witherspoon é a protagonista. No filme estão presentes os sudaneses Arnold Oceng, Ger Duany, Emmanuel Jal e a estreante Kuoth Wiel, alguns dos quais foram também filhos da Guerra e viveram momentos traumáticos não muito diferentes dos mostrados no filme.Ao chegar a Kansas City no Missouri são recebidos por Carrie Davis, uma consultora de uma agência de emprego que foi recrutada para os ajudar a arranjar trabalho — uma tarefa nada fácil quando coisas como interruptores ou telefones são completamente novas para eles.Apesar de Carrie ter conseguido manter-se afastada de qualquer ligação sentimental estes refugiados, que necessitam desesperadamente de ajuda para conseguir viver no século XXI e reconstruir as suas vidas destruídas, necessitam precisamente de afeto. É assim que Carrie embarca num território também para si desconhecido, com a ajuda do seu chefe Jack.
fonte: www.magazine-hd.com 


Visão Geral 

Ao iniciar o filme a impressão que ele passa é que ele será um filme retratando guerra de inicio ao fim, mas logo no começo você já consegue perceber que a história vai se dando de uma maneira bem diferente em relação ao inicio do filme. Muita coisa acontece no filme em pouco tempo.
A parte mais interessante no filme toda, pra mim, é ver o choque de cultura entre os sudaneses e o estilo de vida norte americano. Eles não cresceram dentro de uma casa e sim num abrigo de refugiados, no qual desde cedo tiveram que aprender a lidar com as perdas e com o desconhecimento de um mundo maior fora do país deles. A adaptação dos três irmãos é surpreendente, pois mesmo estando em um lugar novo, o filme deixa claro que eles nunca perdem sua cultura, suas raízes, que lhes é de muito valor.
A principio a personagem Carrie é totalmente desapegada aos três irmãos, ela está apenas tentando se "livrar" deles de uma vez para declarar seu trabalho finalizado, que é arrumar emprego para cada um deles e é bem interessante o modo como os irmãos a conquistam apenas pelo modo de serem, pois eles a fazem refletir sobre alguns conceitos e ela percebe que pode fazer mais.
Este é um filme que é baseado em fatos reais, e me senti muito feliz em poder assistir a um filme que mostram personagens cheios de valores, personagens que lutam pra sobreviver sem perder o foco de sua jornada, deixando exemplos a serem seguidos pelo caminho.
Posso dizer que este filme apesar de mostrar a luta de muitos cidadãos que vivem distantes e nós muitas vezes não temos ideia do que se passa nem do outro lado da rua, acho que este é um filme muito inspirador e espero que cada um que tiver um tempo sobrando dê a oportunidade para ver um filme bem feito como este.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Tempo de Opinar | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.