17 de agosto de 2015

Resenha: A invenção de Hugo Cabret




Cá estamos nós com mais uma resenha de livro lido durante a maratona de inverno 2015 do proposto pelo canal Geek Freak!
Vou aproveitar este início de post pra informar vocês que o desafio de ler os 6 livros que apresentei para vocês na TBR da maratona foi um sucesso total. Normalmente estava conseguindo ler apenas uma média de 2 livros por mês, então ler 6 já me deixou muito feliz e adiantou bem minha lista de livros acumulados da estante.
Acabei não lendo os 3 livros adicionais da lista, que propus ler caso desse tempo, mas acabei decidindo ler apenas os 6 + a Hq, sem pressa, pra poder aproveitar melhor a leitura e não passar os dias só lendo. Afinal, os dias de férias serve pra aproveitar de outros modos também.
Dito isso, vamos ao que realmente interessa hoje: o livro A invenção de Hugo Cabret!
Esse ano tenho lido alguns livros mais infantis, não sei se realmente se enquadram na categoria de livros infantis mas vamos dizer que sim :) De qualquer forma, todos eles trazem crianças como protagonistas, então o ambiente é todo construído a partir dos olhos delas.
Em Hugo Cabret temos uma narrativa em terceira pessoa, mas o enredo inteiro é seguindo os passos que o menino Hugo toma, dessa forma temos o menino presente a todo o momento da história.

Sinopse: A Invenção de Hugo Cabret - Hugo Cabret é um menino órfão que vive escondido na central de trem de Paris dos anos 1930. Esgueirando-se por passagens secretas, Hugo toma conta dos gigantescos relógios do lugar: escuta seus compassos, observa os enormes ponteiros e responsabiliza-se pelo funcionamento da máquinas.A sobrevivência de Hugo depende do anonimato:ele tenta se manter invisível porque guarda um incrível segredo, que é posto em risco quando o severo dono da loja de brinquedos da estação e sua afilhada cruzam o caminho do garoto.Um desenho enigmático, um caderno valioso, uma chave roubada e uma homem mecânico estão no centro desta intrincada e imprevisível história, que, narrada por texto e imagens, mistura elementos dos quadrinhos do cinema, oferecendo uma diferente e emocionante experiência de leitura.Fonte: skoob.com.br




Este livro é completamente diferente de tudo que já li. Possui um enredo cercado de uma triste realidade, mas é mesclada de forma muito inteligente com fantasia, que, na minha visão, é o símbolo registrado de esperança no livro.
Os personagens são muto bem construídos ao longo da história, de forma que suas características são reveladas aos poucos no decorrer do livro, trazendo um ar de mistério à narrativa.
É muito fácil se apegar aos personagens e torcer pelo Hugo do início ao fim quando se tem conhecimento da realidade dele, por mais que ele faça coisas, por vezes, erradas, eu, como leitora, me senti num modo de compreensão com relação ao menino, desejando que a vida dele se direcionasse para algo melhor mesmo tendo conhecimento da dificuldade.




Este livro se torna ainda mais agradável quando se leva em consideração cultural que ele carrega. Não posso negar como eu achei incrível a explicação adotada no livro para o origem do cinema e os elementos integrados a ele. Não sei você se você sentiu isso ao ler este livro, mas me fez ter curiosidade sobre os primeiros filmes e toda a história do aparecimento deles.
Para quem não sabe, existe um filme que foi baseado nesse livro e, quando assisti ao filme não sabia da existência do livro. Mas o fato de ter lido já tendo conhecimento do filme me permitiu identificas as semelhanças e diferenças entre eles. Ao final da comparação percebi o quanto o filme é bom. Segue o livro em seu enredo além de acrescentar toda a magia que o cinema pode oferecer ao tornar muitas coisas que imaginamos visível nas grandes telas.




O livro não é pequeno, tem quase 500 páginas. Mas a leitura dele se torna muito rápida não somente pela linguagem simples e fluida, mas também pelo fato de que as passagens de texto são curtas, contendo uma diagramação que não é muito usual para livros infanto-juvenis, mas bem comum para os infantis. O espaçamento e grande e o texto não é, por vezes, justificado. Isso se deve, principalmente, pelas ilustrações que contém no livro, que como todo livro infantil, é correspondente ao texto. E essas ilustrações costumam tomar duas páginas do livro, tornando-o muito atraente visualmente.
Aproveito aqui pra ressaltar minha admiração com esse livro, pois além de ser bem escrito as ilustrações são lindas. E diferente do que costuma ocorrer, neste livro o escritor também é o ilustrador! Não é à toa que este livro seja um clássico.
Só tenho elogios para este livro e, posso dizer com toda a certeza de que foi um dos melhores que li este ano. Se você quiser um livro para relaxar e passar o tempo de forma agradável, este livro é ideal para este tipo de situação.
Espero ter conseguido despertar em vocês um interesse por ler também este livro!
E não se esqueça de deixar um comentário me contando o que você achou do post de hoje, viu?

Não esqueça de acionar a função notificação após deixar seu comentário para que você receba um aviso com a minha resposta ao seu comentário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Tempo de Opinar | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.